Arquivo da categoria: Fantástico

A VINGANÇA DOS FILMES B-PARTE 2!

(A arte do cartaz e a vinheta da mostra foram uma grata contribuição do grande amigo Marcelo Lim)

Anúncios

Deixe um comentário

08/11/2012 · 1:38

HORROR.DOC

Em novembro estreia o documentário “Horror.Doc”, produzido pela Cumbuca Filmes e dirigido pela talentosa Renata Heinz.  O longa faz um panorama da produção dedicada ao cinema fantástico no país, com depoimentos de realizadores e pesquisadores do gênero.  Fui um dos entrevistados para o projeto, fazendo companhia a Rodrigo Aragão, Marcelo Severo, Laura Cánepa, Carlos Primati, Felipe Guerra e outras pessoas bacanas, que assim como eu são apaixonadas pelo cinema de horror.  O documentário fará parte da minha mostra “A Vingança dos Filmes B- Parte 2”, que ocorrerá na Sala P.F. Gastal da Usina do Gasômetro no final de novembro. Aguardem maiores informações.

1 comentário

Arquivado em Cinema brasileiro, Cinema Nacional Porra!, Divulgação, exploitation, Fantasia, Fantástico, humor negro, Mostras, splatter, Suspense

RUMO AO MAR NEGRO!

Amanhã parto para o Espirito Santo para participar das gravações de Mar Negro, o desfecho da trilogia de horror idealizada por Rodrigo Aragão, iniciada em 2008 com Mangue Negro, e precedida em 2011 por A Noite do Chupacabras. Em meus trabalhos como ator já desempenhei papéis bizarros, tais como um coveiro onanista necrófilo em Rigor Mortis, de Fernando Mantelli e Marcello Lima, um pedinte falsamente aleijado em INpoliticamente Correto, de Pedro Breitman e Maurício Gyboski, fui transformado num monstro raivoso após ser mordido por um mendigo infectado em David Blyth’s Damn Laser Vampires, de David Blyth e Felipe Guerra, um velho feiticeiro canibal em A Noite do Chupacabras… e para completar essa galeria grotesca faltava algo mais radical…ok, não falta mais! Aguardem! Enquanto isso fiquem com o segundo making of de Mar Negro.

1 comentário

Arquivado em Cinema brasileiro, Cinema Nacional Porra!, Fantasia, Fantástico, gore, Horror, humor negro, splatter, Suspense

RAROS ESPECIAL DE SEXTA-FEIRA 13: PAVOR NA CIDADE DOS ZUMBIS

Pavor na Cidade dos Zumbis

Nesta sexta-feira 13, às 20 h30,  o Projeto Raros da Sala P.F. Gastal (Usina do Gasômetro, 3° andar) apresenta o clássico gore oitentista Pavor na Cidade dos Zumbis (Paura nella città dei morti viventi), do lendário diretor italiano Lucio Fulci. A sessão tem entrada franca e será comentada pelo jornalista Carlos Albornoz.

Na misteriosa cidade de Dunwich, um padre comete suicídio num antigo cemitério desencadeando uma profecia que culminará com a abertura dos sete portais do inferno. No mesmo instante em Nova Iorque, durante uma sessão mediúnica a jovem sensitiva Mary (Catriona MacColl) tem um colapso após ter visões de um futuro apocalíptico, onde os mortos retornam das regiões infernais para subjugar a terra. Auxiliada por Peter (Christopher George), um jornalista obstinado, Mary viaja para Dunwich na tentativa de evitar que a profecia se concretize.

À partir de Pavor na Cidade dos Zumbis o diretor Lucio Fulci romperia com a narrativa tradicional para elaborar uma trilogia (com a presença de MacColl) onde a razão seria sobrepujada pela lógica de um universo onírico macabro. Essa atmosfera de pesadelo, onde a narrativa formal é substituída por uma estrutura delirante seria complementada com os filmes A Casa do Além (L’Aldilà, 1981) e A Casa do Cemitério(Quella Villa Accanto Al Cimitero, 1981).

A imaginação é mais forte quando pressionada pelos horrores do inferno, declararia Fulci, um diretor acostumado a conduzir suas tramas orquestrando cenas impactantes onde o corpóreo e o metafísico coexistem gerando medo e estranheza em meio a absurdos banhos de sangue. Em Pavor na Cidade dos Zumbis o diretor extrapola o seu gosto por detalhes grotescos fornecendo ao espectador um festival de atrocidades amparado em um roteiro abstrato, repleto de situações que ilustram o seu descompromisso com a razão em prol do choque, numa recusa consciente das convenções formais da narrativa cinematográfica. No universo peculiar de Fulci é possível as pessoas agirem normalmente após uma insólita chuva de vermes, ou  uma garota vomitar os próprios intestinos, numa das cenas mais repugnantes do cinema gore dos anos 1980. A cena onde Giovanni Lombardo Radice, ator fetiche do cinema de horror italiano, tem sua cabeça transpassada por uma furadeira indústrial, e a seqüência onde Catriona MacColl é enterrada viva, auxiliam a justificar o fato de Fulci ser conhecido como o poeta da crueldade.

Pavor na Cidade dos Zumbis (Paura nella città dei morti viventi, Itália – 1980, Cor, 93 minutos)

Diretor: Lucio Fulci.

Com: Catriona MacColl, Christopher George, Carlo De Mejo, Giovanni Lombardo Radice

Deixe um comentário

Arquivado em Fantástico, gore, Horror, Suspense

MAR NEGRO GANHA SEU PRIMEIRO MAKING OF!

O diretor capixaba Rodrigo Aragão, um dos grandes batalhadores do cinema de gênero no Brasil, divulga o primeiro making of de seu próximo longa, “Mar Negro”. O desfecho da trilogia, iniciada com o hoje cult “Mangue Negro” , e seguida de “A Noite do Chupacabras” (lançado recentemente em DVD),  promete incluir criaturas ainda mais bizarras na história da filmografia brasileira de horror.

1 comentário

Arquivado em Cinema brasileiro, Cinema Nacional Porra!, Divulgação, Fantasia, Fantástico, Horror, humor negro, splatter, Suspense

VENCEDORES FANTASPOA 2012- JÚRI POPULAR

“Um Pouquinho Zumbi” melhor filme no voto popular!

CURTAS-METRAGENS:

MELHOR CURTA NACIONAL ANIMAÇÃO: O Céu No Andar De Baixo, dirigido por Leonardo Cata Preta.

MELHOR CURTA NACIONAL LIVE-ACTION: Os Desalmados, dirigido por Rafael Borghi.

MELHOR CURTA INTERNACIONAL ANIMAÇÃO: Canção De Blackwater, dirigido por Bo Mathorne.

MELHOR CURTA INTERNACIONAL LIVE-ACTION: Matar Uma Criança, dirigido por César Esteban Alenda e José Esteban Alenda.

JÚRI POPULAR:
MELHOR FILME: Um Pouquinho Zumbi, dirigido por Casey Walker.

Deixe um comentário

Arquivado em Fantasia, Fantástico, Festivais, Suspense

VENCEDORES FANTASPOA 2012- JÚRI OFICIAL

Inato – Prêmio de Melhores Efeitos Especiais

Após 16 dias de intensas atividades, unindo fãs do cinema fantástico de várias partes do Brasil e do exterior, chegou ao fim mais um FANTASPOA! Em sua oitava edição o festival foi coroado com a ilustre presença de Stuart Gordon, que gerou uma histórica e lotada sessão comentada de Re-Animator. Apesar de ter me desligado da organização do festival em 2011, este ano participei como jurado da mostra Apocalipse Zumbi, junto com meu amigo e especialista em Sci-Fi anos 50, Marcelo Severo. Elegemos a divertida comédia de humor negro “Pushin Up Daisies” como o melhor filme da mostra, ou numa justificativa de crítico sério: “Pushin Up Daisies pela inventividade da trama ao utilizar a mítica figura dos zumbis como elemento desestabilizador para satirizar as convenções cinematográficas, num implacável exercício de humor negro”.

Abaixo a lista de vencedores do júri oficial. Em breve mais relatos sobre o festival.

CURTAS-METRAGENS

MELHOR CURTA NACIONAL LIVE-ACTION:
OS DESALMADOS, dirigido por Raphael Borghi

MELHOR CURTA NACIONAL ANIMAÇÃO:
CÉU NO ANDAR DE BAIXO, dirigido por Leonardo Cata Preta

MELHOR CURTA INTERNACIONAL LIVE-ACTION:
PICNIC, dirigido por Gerardo Herrero

MELHOR CURTA INTERNACIONAL ANIMAÇÃO:
CANÇÃO DE BLACKWATER, dirigido por Bo Mathorne

MOSTRA APOCALIPSE ZUMBI
Pushin’ up Daisies, dirigido por Patrick Franklin

MOSTRA PANORAMA

MELHOR DIRETOR(A): Martha Stephens, A Canção do Peregrino

MELHOR FILME:
Kid-Thing, de David Zellner

COMPETIÇÃO IBERO-AMERICANA

MELHOR FILME:
Toupeiras, de Emiliano Romero

MELHOR DIRETOR:
Nicanor Loreti (Diablo)

Menção honrosa pela memória do cinema fantástico: Alucardos, de Ulises Ulicardo Guzman Reyes

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL

MELHOR FILME:
O Alvo, de Alexander Zeldovich

MELHOR DIRETOR:
David Jarab – Mão-Cabeça-Coração

MELHOR ATOR:
Tihomir Stanic – O Inimigo

MELHOR ATRIZ:
Victoria Bidwell – Pele Reconfortante

MELHOR ROTEIRO:
Tomasz Thomson, por Snowman’s Land

MELHORES EFEITOS ESPECIAIS:
Inato (Alex Chandon)

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE:
Yuji Tsuzuki, por O Contrabandista

BANHO DE SANGUE:
Raiva (Aharon Kesales e Navot Papushado)

RAINHA DO GRITO:
Anessa Ramsey – Ritos da Primavera

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI/CONTRIBUIÇÃO ARTÍSTICA:
The Girl from the Naked Eye (Jason Yee)

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação, exploitation, Fantasia, Fantástico, Festivais, gore, Horror, humor negro, Mostras, Sci-fi, splatter, Suspense