A HISTÓRIA DO CINEMA DE HORROR- UM CURSO DE CARLOS PRIMATI

Meu amigo Carlos Primati, um dos grandes especialistas em cinema fantástico do Brasil, retorna a Porto Alegre no fim de março para ministrar o curso “A História do Cinema de Horror”. Um evento imperdível para os fãs porto-alegrenses do gênero. Tive o prazer de colaborar com Primati na redação da revista Cine Monstro Horror Magazine em 2003, e de conviver com sua presença virtual por alguns anos na saudosa lista de discussão Canibal Holocausto (criada pelo jornalista Carlos Thomaz Albornoz no fim dos anos 1990, essa lista foi durante anos um ponto de referência para toda espécie de entusiasta do cinema de gênero). Certamente, se alguém sabe dissertar com embasamento sobre o tema, esse alguém é o Primati. Os interessados podem conferir as informações abaixo, e reparem no abrangente e instigante programa do curso.
CURSO A HISTÓRIA DO CINEMA DE HORROR
“O que é um filme de horror? Por que as pessoas têm fascínio por esse gênero, que fica cada vez mais forte, apesar do preconceito que ainda enfrenta? Como transformou ao longo das décadas, associando-se a diferentes tendências, e como acontecimentos históricos influenciaram em sua mutação constante? Estas são apenas algumas das questões que serão abordadas no curso A História do Cinema de Horror, que irei ministrar em Porto Alegre entre os dias 29 de março e 1º de abril.
A proposta do curso é traçar um amplo e abrangente painel de toda a história do horror no cinema, desde os primeiros experimentos realizados por Georges MélièsThomas A. Edison, a encantadora fase do Expressionismo alemão, o surgimento do cinema sonoro com os primeiros clássicos hollywoodianos (Drácula com Bela Lugosi,Frankenstein com Boris Karloff), passando por todas as décadas, da ficção científica com monstros mutantes e o horror gótico britânico, que revelou Peter Cushing e Christopher Lee, até os assassinos psicopatas dos anos 70 e 80, chegando, enfim, à safra atual, com os violentos filmes de tortura e a nova escola francesa de filmes extremos.
O caráter universal do gênero é enfatizado destacando a produção de filmes de horror em todos os continentes; tópicos específicos analisam as características do que se produz em países como Itália, Espanha, França, Alemanha, Japão, China, Hong Kong, Filipinas, México, Brasil e Argentina. E a conclusão que se chega é que o horror é o mais universal de todos os gêneros, pois se vale dos nossos medos instintivos, irracionais, que não enfrentam barreiras culturais, sociais ou políticas.
O curso também discutirá várias particularidades do gênero, incluindo sua popularização por meio de festivais e publicações especializadas, além dos limites do horror, envolvendo a polêmica em torno dos míticos snuff movies e a controvérsia que envolve o cult maldito Cannibal Holocaust. No caso deste último item, sempre gosto de pedir aos participantes para darem suas próprias opiniões, em busca de novas visões sobre até onde deve ir o horror, os limites da criação artística, da censura, da moral e da ética.
Convido todos os amigos portoalegrenses e das redondezas gaúchas a participar do curso, garanto que será bem bacana e divertido. As informações necessárias estão logo abaixo, com a programação do curso e tudo mais. Vamos horrorizar Porto Alegre mais uma vez! 

Programa do curso
AULA 1 (29 de março)
• O que diabos é um filme de horror?
• Origens do horror na literatura, no teatro e no cinema
• Sombras ameaçadoras: o horror expressionista alemão
• A estrutura tradicional do filme de horror
• Universal (I): a casa de todos os monstros
• Bela Lugosi e Boris Karloff, os primeiros ídolos do horror
• Universal (II): apogeu e declínio dos monstros
• Escuridão mortal: o horror psicológico de Val Lewton
• Veio do espaço: a ficção científica da era nuclear
• O cinema de exploração e o mercado de drive-in
AULA 2 (30 de março)
• Hammer (I): o ousado e violento horror inglês
• Peter Cushing e Christopher Lee, os monstros britânicos
• Os truques de William Castle, o ‘mestre do choque’
• Psicose (1960): o horror atinge a maturidade absoluta
• O filme de horror se torna internacional
• EUA: o ciclo de adaptações de Edgar Allan Poe
• Vincent Price, carisma e requinte no horror estadunidense
• Canadá: o corpo transformado de David Cronenberg
AULA 3 (31 de março)
• Horror europeu: Itália, Espanha, França e Alemanha
• Horror asiático: Japão, China, Hong Kong e Filipinas
• Horror latino-americano: México, Brasil e Argentina
• Hammer (II): sexo, satanismo e fim de ciclo
• Amicus: a casa das antologias de horror
• Fim do mundo: o cinema pessimista e apocalíptico
• Canibal Holocausto (1980) e os limites éticos do horror
AULA 4 (1º de abril)
• Máscaras: a ameaça sem rosto e o monstro interior
• A proliferação de festivais e publicações de horror
• Para todos: o cinema arrasa-quarteirão adere ao horror
• O uso de novas mídias para a difusão do horror
• O caráter contestador do filme de horror
• Morte lenta: o horror extremo nos filmes de tortura
• O mito snuff: o último tabu do cinema de horror
• O futuro do horror e as novas tendências 

A HISTÓRIA DO CINEMA DE HORROR
Por Carlos Primati
Datas: 29, 30 e 31 de março e 1º de abril
Horário: das 19h às 21h30
Local: Museu da Comunicação Hipólito José da Costa (Rua Andradas, 959, Porto Alegre / RS)
Investimento: R$ 100,00
Material: DVD exclusivo com curtas e trailers, apostila e certificado de participação
Informaçõescenaum@cenaum.net ou (51) 9101 9377
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Divulgação, Horror

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s