VI FANTASPOA- O FIM DE MAIS UMA JORNADA FANTÁSTICA

Vida e Morte de Uma Gangue Pornô Melhor Filme VI FANTASPOA

Os quase cinco mil espectadores que assombraram as sessões do VI FANTASPOA, não apenas consagraram a popularidade do festival como auxiliaram a contrariar a alardeada falta de interesse do público brasileiro pelo cinema de gênero.  A presença de um título representativo como o clássico 4 Moscas Sobre Veludo Cinza de Dario Argento, e de produções contemporâneas consistentes como Vida e Morte de Uma Gangue Pornô, Amargo, A Porta, O Legado Valdemar e O Cavaleiro, além da participação de realizadores como o veterano e folclórico diretor italiano Luigi Cozzi, e de novos talentos como Eli Craig, confirmaram a importância e a maturidade do festival.

Luigi Cozzi está longe de ser um dos meus diretores prediletos, mas alguns de seus filmes fizeram parte de minha infância e sobreviveram em minha memória afetiva, como Hércules, com Lou Ferrigno, que assisti no saudoso Cine Marabá nos anos 1980.  Além disso, Cozzi escreveu em parceria com Antonio Tentori o livro Guida Al Cinema Horror Made In Italy, uma obra indispensável para os fãs do gênero; e agora tenho o orgulho de possuir um exemplar devidamente autografado. As sessões comentadas de Starcrash e Paganini Horror, independente da qualidade destas obras, foram pontos altos do festival, onde o simpático Cozzi revelou particularidades sobre como se produzia cinema de gênero na Itália nos anos 70 e 80, e brindou os

Luigi Cozzi e Eu

cinéfilos presentes com divertidas histórias de bastidores, as mais curiosas envolvendo o mítico ator Klaus Kinski, com quem trabalhou em Nosferatu em Veneza. Outras figuras que esbanjaram simpatia foram o produtor Paul Barrett, representante do competente e divertido Armazenagem a Frio, e que por minha culpa foi embora com uma violenta ressaca de cachaça (sorry Paul), e o demente Eli Craig, que conquistou o público com seu Tucker & Dale Contra o Mal. Craig também foi minha vitima, pois além lhe apresentar os sabores e dissabores da boa e velha cachaça brasileira, ainda teve de me aturar lhe sacaneando pelo fato dele ter atuado no intragável A Maldição de Carrie. Segundo ele, foi por causa deste filme que ele repensou sua carreira de ator e resolveu investir na direção. Fiquei tentado a fazer graça com o fato de ele ser filho da Sally “Noviça Voadora” Field, mas o bom senso venceu minha alcoólica verve sarcástica.

Porém, outro diretor convidado, o belga Marc Goldstein, não se revelou uma companhia tão aprazível. Visivelmente descontente com o resultado final de seu Glenn, O Robô Voador, o diretor vagou pelo festival com ar deprimido, fazendo pouco esforço para gerar alguma simpatia, e o debate após seu desastroso filme apenas espelhou seu estado de espírito. Revelando insegurança, Marc respondeu algumas perguntas sem o menor entusiasmo ou humor, tornando o debate tão tedioso quanto o seu filme.

Apesar de A Centopéia Humana ter sido a grande sensação do festival, com ingressos disputadíssimos em sessões lotadas (com pessoas sentadas no corredor da sala de exibição), o prêmio de melhor longa-metragem pelo voto do público, contrariando as expectativas, foi para o hilário Eu Vendo os Mortos. Assim, no gosto popular o humor negro escrachado venceu qualquer investida séria na morbidez e na bizarria. Na correria do festival, onde alguns filmes monopolizaram o interesse da platéia, infelizmente algumas obras não tiveram o devido reconhecimento por parte do público, como foi o caso da inventiva e hilária space-opera-western-comédia musical de baixo orçamento Stingray Sam. Uma verdadeira pérola de originalidade, escrita, dirigida e produzida pelo americano Cory McAbee. No entanto, outros filmes foram surpresas mais do que desagradáveis, como os patéticos A Morte de Alice Blue e A Aposta, mas nada supera a mediocridade do filme surpresa Bikini Girl on Ice, dirigido pelo canadense Geoff Klein. Raramente eu me retiro de uma sessão de cinema antes do final, por mais desprezível que a obra seja, mas esta realmente testou os meus limites. E não se deixem enganar pelo título sugestivo, qualquer produção exibida no Cine Prive gera mais diversão do que este tedioso e pudico slasher canadense.

Outra obra que merece um olhar mais atento é 8th Wonderland, um curioso thriller que mescla ficção, política e humor negro para discutir as possibilidades e as conseqüências do uso da tecnologia como arma ideológica e de conscientização política. The Uh-Oh Show, o mais novo atentado cinematográfico de Herschell Gordon Lewis dividiu a platéia. Muitos se divertiram com o gore fake e pra lá de absurdo, outros o consideraram o filme mais retardado que já assistiram, e que “um gorila teria dirigido melhor”, e eu que nunca fui um grande fã do velho Herschell, sinceramente, não esperava nenhuma obra prima, porém, a presença de Lloyd Kaufman como um gigolô garantiu algumas risadas.

No fim das contas o saldo foi mais do que positivo, mas um dos fatores mais benéficos do festival ocorreu fora das telas, a reunião de pessoas absolutamente fascinadas pelo cinema fantástico, que após as sessões proporcionaram debates instigantes e acalorados, regadas com muita cerveja e cachaça nos botecos da Cidade Baixa. Foi um prazer imenso rever velhos amigos e conviver por alguns dias com pessoas como Carlos Primati, Beatriz Saldanha, Laura Cánepa, Leandro Caraça, Marcelo Carrard, Felipe Guerra, e os comparsas de sempre, Thomaz Albornoz, Severo, Villaverde, Blob, Ghiorzi, Vasco, entre outros apaixonados pelo gênero. Agora é só aguardar pela próxima jornada…

Eli Craig, Ghiorzi e eu

Premiação VI FANTASPOA

Júri Popular:

Melhor Curta-metragem Nacional Live-Action: Animal Menor, de Pedro Harres e Marcos Contreras

Melhor Curta-metragem Nacional Animação: Anjos no Meio da Praça, de Alê Camargo & Camila Carrossine

Melhor Curta-metragem Internacional Live-Action: Cabuleros, de Damian Slipoi

Melhor Curta-metragem Internacional Animação: Le Petit Dragon, de Bruno Collet

Melhor longa-metragem: Eu Vendo os Mortos, de Glenn McQuaid

Júri Oficial

Curtas-metragens:

Melhor Curta-metragem Nacional Live-Action: Mapa-Múndi, de Pedro Zimmermann

Melhor Curta-metragem Nacional Animação: O Jumento Santo, de Léo D. & William Paiva

Melhor Curta-metragem Internacional Live-Action: El Nunca lo Haría, de Anartz Zuazua

Melhor Curta-metragem Internacional Animação: Alma, de Rodrigo Blaas

Longas-metragens

Fantástico Mundo Animado:

Uma Noite na Cidade, de Jan Balej

Competição Internacional

Menções Honrosas:

Produção de baixo-orçamento: Recortadas, de Sebastian de Caro

Banho de Sangue: Massacre Esta Noite, de Ramiro & Adrián García Bogliano

Scream Queen: Julie Estelle (Macabro)

Contribuição Artísticas: Bruno Catet & Helene Forzani (Amargo)

Prêmios Oficiais:

Roteiro: Konstantin Lopushansky, Vyacheslav Rybakov (Os Cisnes Feios)

Efeitos Especiais: Reyes Abades (O Legado Valdemar)

Atriz: Olga Fedori (Mamãe e Papai)

Ator: Peter Marshall (O Cavaleiro)

Diretor: Eli Craig (Tucker & Dale Enfrentam o Mal)

Melhor Filme: Vida e Morte de uma Gangue Pornô, de Mladen Djordjevic

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Festivais, Horror, Mostras

6 Respostas para “VI FANTASPOA- O FIM DE MAIS UMA JORNADA FANTÁSTICA

  1. buchinsky

    O prêmio de efeito especial pro Valdemar foi piada !

    • Premiações em festivais sempre acabam gerando frutos estranhos, doces para alguns, azedos para outros. Mas veja o lado positivo, ao menos não foi para Princesa Samurai ou A Morte de Alice Blue, rs.

  2. : :

    Ó, parabéns. Bom saber que me encaixo neste “gosto popular” onde o humor negro escrachado vence qualquer “investida séria na morbidez e na bizarria”.

    [ ; – ) ]

    O problema vai ser achar estes títulos indicados nos torrents da vida…
    ___

  3. Joel Caetano

    Mais um voto pelo “humor negro escrachado”!
    O lance é se divertir!!!!
    Abraço meu velho!!!

  4. Laura

    Cristian, adorei seu texto sobre o Fantaspoa. vou colocar link pra ele no meu blog, tá?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s